em Cultura

Sozinha no palco, Clarice Niskier desconstrói e reconstrói conceitos milenares da história da civilização – corpo e alma, certo e errado, traidor e traído, obediência e desobediência. Em A Alma Imoral, uma adaptação da atriz para o teatro, a partir do livro homônimo do rabino Nilton Bondera, ela estabelece contato direto com a plateia para contar histórias e parábolas da tradição judaica. Em cena, uma cadeira e um tecido preto que, concebido pela figurinista Kika Lopes, transforma-se em mantos, vestidos, burcas, véus.  “Quando comecei a trabalhar nessa obra, pensava em mobilizar o pensamento e a emoção do espectador contemporâneo. Mais de uma década depois, continuo com o mesmo objetivo”, revela a atriz. Mais de 450 mil espectadores em teatros das principais cidades brasileiras assistiram A Alma Imoral desde o ano da estreia, em 2006.  O espetáculo faz curtíssima temporada no Teatro Brasília Shopping, de 9 a 25 de agosto, sextas-feiras e sábados às 21h, e domingo às 19h. Caderno Divirta-se Mais traz a dica!

A Alma Imoral CB

 

 

 

Posts recentes